7 de maio

Querido diário,

Editar vídeos não é tão difícil. O iMovie, um programa amador de edição, é fácil como dizem na propaganda. Totalmente limitado, e por vezes completamente idiota, mas no fim das contas, acessível. Deixa eu ter dinheiro pra comprar HDs e quem sabe uma migração para o Final Cut faça, de mim, também um editor de vídeos de boteco.

Este assunto se impõe uma vez que hoje é o lançamento intergalático do programa de youtube Tração Animal, um desdobramento do blog, para vídeo.

Pretende-se semanal, com trajetos variados, e parceiros de pedalada variados. O vídeo foi efetivamente gravado no dia 5 de Maio.

Mas antes, o dia de hoje: Pedalada ligeira para almoçar aqui perto, 1,6 Km somando ida e volta, fui com minha queridíssima esposa e foi tranquilo. Pronto. Tem vários assuntos outros para tratar, trato amanhã. Agora, tem isso:

Comentem, critiquem, elogiem, metam o pau, caiam de boca, mas não fiquem indiferentes. Pode ser aqui, pode ser no Youtube, pode ser para o meu e-mail, façam ecoar, por favor.

Agradecimentos a Rodrigo Luna, Luciano Matos, à esposa, e a todos os outros que deram força para que isso rolasse.

Segunda-feira, 7 de maio: 1,6 Km. Total: 371,9 Km

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , . Guardar link permanente.

10 respostas para 7 de maio

  1. resoutomaior disse:

    Enquanto o HD não vem, vai de Kdenlive, ó: http://www.kdenlive.org/

    é livre, é leve e um pouco menos limitado.

  2. Camilo
    primeiramente, parabéns pelo blog. Ótima iniciativa!
    Sobre o vídeo, acho que vocês podem comentar mais as dificuldades pontualmente – como fazem, aliás, em alguns momentos. Dá para explorar mais isso. Ou simplesmente reduzir o tamanho do vídeo e comentar somente o que for necessário. Acho que dinamiza melhor.
    Como sugestão, vocês poderiam abordar a ciclovia da orla, que vai basicamente de Amaralina a Itapuã. Pedalo com frequência por ela e é uma ótima alternativa para a pedalada cotidiana, mesmo para quem (como você) utiliza a bike como meio de transporte, e não como esporte (do ponto de vista do exercício físico). É muito comum ver pessoas voltando pra casa por ela, por volta das 17h. É uma experiência diferente da que vc enfrenta, pois o cliclista na ciclovia se depara com gente na pista, poças d’água, buracos, pistas que somem do nada e depois reaparecem etc.
    abraço

    • Camilo Fróes disse:

      Obrigado, Rodrigo.

      Já defini o roteiro do próximo programa, que quero levar ao ar na segunda dia 14. Vou ver quem faz esse trajeto comigo pro ‘episódio’ do dia 21. Abs!

  3. Eduardo Luedy disse:

    Camilo, cade os comments do Lucas?

    • Camilo Fróes disse:

      Oi Luedy! Acabei que cheguei tarde demais, em casa, e não fui pro baba =(

      Os comentários de Lucas foram apagados e não serão mais vistos aqui no blog ou em qualquer espaço que eu gerencie, como informei a ele. Dialoguei com Lucas sobre os mais variados assuntos, pessoal e digitalmente nas mais diversas situações, e quase nunca foi fácil. Geralmente é bem difícil. Lucas frequentemente confunde as opiniões dele com verdade científica, e como se coloca como dono da verdade e de uma lei particular, é muito difícil ele aceitar a pluralidade. Isso enche o saco. E me encheu o saco. Não tem a ver com o que foi escrito aqui no blog, apenas, aqui foi mais a gota d’água. Eu tenho tido cada vez menos paciência com ele, e agora acabou. Não tenho mais paciência.

      Coisas que são claramente opiniões, ou posturas particulares, foram atiradas – e são atiradas – com uma arrogância incrível como se fossem a única coisa correta a se fazer. Pulei fora. Não sou o primeiro a não aguentar conviver com ele, não serei o último. Diria até que resisti bastante.

      • Eduardo Luedy disse:

        Velho, ninguém – e pode acreditar nisso – brigou mais com Lucas que eu em ambientes virtuais. Sei o que se passa, de certo modo. Entendo a sua reação e a sua postura. Mas te digo: Lucas é não só um cara de ideias interessantes acerca de mobilidade urbana (concordo com os comentários dele sobre pedestres, por exemplo, feitos em seu blog), mas é também, e à sua maneira (por mais estranha que possa parecer), um cara interessado no debate. E, pelo pouco que conheço dele, ele estava achando seu blog interessante e válido. Bem, eu apenas lamento que vocês não continuem dialogando. [Ah, também prefiro ir pela orla do que cortar caminho pelo apipema]. Grande abraço.

      • Camilo Fróes disse:

        Os comentários são válidos, várias ideias são boas, outras não. A questão não é essa. A questão é a postura de combate agressiva, tratando de opções pessoais como se fossem leis. Ele me disse que é errado eu usar capacete. Que é errado eu pedalar rápido. Que é errado eu usar avenidas. Que é errado eu não ir para o miolo do trânsito quando os carros param no sinal. Nada disso é errado. Pode até não ser o melhor para a minha saúde, minha segurança ou minha coluna. Mas é assim, a posição do outro pode ser respeitada e não achincalhada. Tem gente que gosta de apanhar, tem gente que prefere ser goleiro, qual é o problema? Lucas vai continuar cavando lugares para debater e outros sacos para encher. =) Abraço.

  4. Curti demais o vídeo!

    Legal ter visto um dos trajetos que muitas vezes são descritos nos posts (e eu, que residi em Salvador por um ano, sempre tento refazer mentalmente… me divirto com isso). Achei o piloto bem interessante – solto, com comentários pontuais, bem mostranto o trajeto mesmo. Como o Rodrigo comentou anteriormente, de repente os próximos podem abordar algo além, sei lá, mostrar os trajetos circuláveis (ou nem tanto) de Salvador, quem sabe filmar uma bicicletada…

    Hoje moro em Vitória da Conquista/BA e pedalo mais para me exercitar e curtir do que como meio de transporte. Aqui a “cena” ciclística acontece bem mais nos fins de semana, principalmente aos domingos, e não exatamente na cidade. O pessoal faz muitas trilhas a caminho das zonas rurais e durante a semana deixa as magrelas em casa. No início do mês (dia 4/05) rolou a primeira Bicicletada da cidade, e vai rolar naquele esquema geral (sempre na última sexta do mês).

    Enfim, escrevo tudo isso pra dizer que ler seu blog me dá um gás pra pedalar mais, e tenho considerado começar a pedalar em alguns trajetos que costumeiramente faço de carro.

    É isso. Um abraço.
    Renato

  5. Kristian disse:

    “Comentem, critiquem, elogiem, metam o pau, caiam de boca, mas não fiquem indiferentes. Pode ser aqui, pode ser no Youtube, pode ser para o meu e-mail, façam ecoar, por favor.”

    Porque não descontinuou a conversa com Lucas sem apagar o registro? Apagasse qualquer novo comentário que discorresse. Mas por que apagar a memória de toda discussão já feita? Ficou numa posição ruim para ti, deixar os comentários? Algo em especial que te motivou a não permitir que se lesse os encaminhamentos da conversa?

    Uma pena. Acaba parecendo assunção de que “perdeu” na argumentação e preferiu omitir o registro, mesmo isso não sendo necessariamente verdade.

    • Camilo Fróes disse:

      Oi Kristian. A questão sobre Lucas está explicada acima. Foi um caso pessoal, uma relação extra-blog. O trecho que você destacou continua válido para todas as outras pessoas, para todos os assuntos tratados no blog, inclusive este.

      Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s