1 de maio

Querido diário,

Hoje saí pra almoçar com amigos. Fui de bicicleta. Um restaurante aqui pertinho que estava vetado das minha possibilidades por ter, não faz muito tempo, ultrapassado todos os limites do mal atendimento. Virou pirraça e desrespeito. Estou falando do Mercosul do Gama. Quem já foi, sabe que a comida é gostosa mas o serviço é bem mau-humorado. Recomendado somente para dias de muito bom humor. Na saída de lá, fomos para casa de um dos casais presentes e a dona da casa pediu pra ir na bicicleta da minha esposa, para experimentar. Pegou logo uma ladeira perversa. Mesmo na marcha mais leve de todas, sem nenhum hábito, faltou tônus. Depois foi sair da casa deles e voltar pra casa. O passeio todo foi 2,7 Km. Trechos bem pequenos nas redondezas ficam muito práticos, com bicicleta, e pra quem quer começar a encarar trânsito sobre duas rodas, essa pode ser uma receita. Ir nos fins de semana explorando o próprio bairro.

É sempre recomendado, claro, pra quem vai começar, ter a companhia de alguém que já tenha o hábito, e ler, por iniciativa própria o Código de Trânsito Brasileiro. Não porque ele seja muito completo e beire a perfeição, mas porque, sendo a parte frágil de qualquer choque que possa vir a acontecer é muito importante ter plena consciência de cada um dos seus direitos e deveres, o que pode, o que não pode, etc.

À noite, foi o dia de tentar voltar a jogar bola. Meu tornozelo esquerdo estava fragilizado. Acho que está ainda. Mas resolvi fazer um teste. Fiz o velho caminho até a Av. ACM, indo por dentro do Vale das Pedrinhas, mas voltando pelo Lucaia. Como hoje é feriado, Dia do Trabalhador – e não “dia do trabalho”, como se diz por aí – o trânsito estava fácil, a noite estava tranquila e os carros não estavam se portando como ameaçadores, tanto na ida quanto na volta. Poupei o tornozelo de maiores impactos e voltei pedalando sem grandes dificuldades. Na volta tive companhia, por um trecho curto, de um dos colegas de futebol. Fomos conversando sobre bicicleta. Ele não tem sinalização noturna e anda de noite. Teve retrovisor mas quebrou. A sinalização dianteira e lateral também já era. Pedala bem corretamente e bem prudente, mas peca no quesito visibilidade. Ele estava indo enfrentar o caminho até o Politeama via Vasco. A ida foram 3,1 Km, a volta, 4,7 Km.

Agora os pés doem. Mas futebol é massa, sempre vale a pena, mesmo jogando só a 70% da capacidade.

Terça-feira, 1 de Maio: 10,5 Km. Total: 281,6 Km

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s